segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Faith Enough [?]

Mesmo eu, e as pessoas que nasceram e cresceram dentro de igrejas tem a sua fé testada ou até mesmo CONTESTADA.
Não é como quando cremos que Deus fará tudo e descerá do céu passando a mão em nossas cabeças. O que de fato, não é bem assim.
Não se ama a religião, nem mesmo apega-se. Religião não é sinônimo de fé e verdade. Creio no que penso que está certo e frenqüento a igreja. Lá nem sempre aprendemos as coisas como realmente são, quem quiser estudar/aprender de fato faz teologia. Lá encontramos pessoas que querem ser melhores, que querem firmar sua fé.
Mas e quando naufragamos?
Daí vem as frases fanáticas: "Não O entendo, mas o sigo mesmo assim", "Se você me provar que Deus não é verdade eu deixo a verdade e sigo a mentira."
Não, não é assim! Temos que contestar. Sou convicta de minha fé, mas isso não quer dizer que não tenha dúvidas. Como disse o famoso "Boca do Inferno" em seus versos: Cuja lei contesto tanto viver, Sob a lei que desejo morrer [...]
Ultimamente, igreja virou instituição (com fins lucrativos) e é por isso que em cada esquina tem uma. Quando vejo coisas assim, fico profundamente triste.
Igrejas que pregam prosperidade financeira e só. Deus quer seu dinheiro e vai te dar tudo em dobro. Não, não, não, o que Ele quer é você, assim como está. Ele veio para dar a vida, e a vida em ABUNDÂNCIA, que interesse Ele teria em dinheiro?
Confesso que às vezes penso no que fazemos dentro da igreja. Às vezes olhomos ao redor e enxergamos fanatismo atrás de fanatismo. É dinheiro, oferta e dízimo. São negócios.

Então me pergunto: Tenho fé suficiente?



Você sabe pelo que estou passando
Eu sei que é verdade
Você já esteve em meu lugar
Desejo dentro de mim
Mas é difícil de acreditar
Naquilo que não se pode ver
Você pode pegar o vento?
Ver a brisa?
Sua presença é revelada pelas folhas das árvores
A imagem de fé no invisível
Nos olhos da minha mente
Eu vejo Seu rosto
Você sorri conforme me mostra Sua graça
Nos olhos da minha mente
Você pega minha mão
Caminhamos por terras estranhas
As terras estranhas da vida


Na minha mente
Estou onde eu pertenço
Conforme descanso em Seus braços
E como uma criança eu me agarro a Você
Em meu momento de verdade
Podemos acompanhar a tempestade
Suportar a dor
Você me conforta no furacão
E nunca mais estarei sozinho de novo
Você pode pegar o vento?
Você pode ver a brisa?
Em minha mente eu posso ver Seu rosto
Conforme o amor transborda numa chuva de graça
A vida é um dom que Você escolheu dar
E eu creio que nós viveremos eternamente
Fé a evidência das coisas invisíveis
As pessoas me dizem que Você é apenas um sonho
Mas elas não Te conhecem do modo que eu conheço
Você é aquele que eu vivo para seguir


Mind's eye - dc Talk

2 comentários:

Mithz disse...

Vejo que a insatisfação não é só minha.

O pior não é as igrejas que querem somente o dinheiro, mas que usam do ireal para operar as suas mágicas.

Até cuspi no pescoço vi esse fim de semana na minha igreja, pior é que a mulher não foi curada.... rsrsrs

Night Angel disse...

Sua vaquinhaaaaaa!!!!! rsrsrs
como é que você escreve um artigo desses e não posta lá no ILLUMINARES?!

da uma passada lá e manda bala.

bjão, te adorooo.