sexta-feira, 28 de agosto de 2009

"O ridículo da vida..."


O amor é o ridículo da vida. A gente procura nele uma pureza impossível, uma pureza que está sempre se pondo. A vida veio e me levou com ela. Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga ideia de paraíso que nos persegue, bonita e breve, como borboletas que só vivem 24 horas. Morrer não dói.
Cazuza
E eu continuo livin' la vida loca, galera.
O blog ainda mantém um pouco da serenidade que me resta. E um pouco da vontade das coisas também.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Minhas borboletas voltarão

Talvez minha mania pessimista de prever o futuro não fosse tão correta. Eu desejaria que não. Odeio ouvir que tenho razão quando o destino resolve me pregar uma peça. O fio da vida continua se enrolando, tecendo caminhos. Desvelo-me. Estou perdida. Talvez eu seja mesmo apenas uma garota que nunca viveu nada, que não sabe de nada. Talvez prefira não saber. Certas coisas são difíceis para se superar. Mas se você tiver um outro alguém, tudo bem. Estou sozinha desde nosso último adeus, mas você está livre. Como sempre foi, e como nunca seria comigo. O amor é um sonho, você acorda e ele acaba. Como um suspiro ele passa. Ou não. Existem pessoas que sonham o mesmo todas as noites e vagam por aí à procura de seus sonhos.
Borboletas ainda sobrevoam meu céu, e desaparecem quando ouço seu nome. Vai ficar tudo bem, eu sei. Minhas borboletas voltarão.
E se agora ela é a senhora dessa paixão, calma... Que não demora passar essa dor no coração.

Ao meu Renato

video

Desculpe o atraso, mas a faculdade, a chuva, a internet ruim e outros fatores me fizeram atrasar um pouco. De qualquer forma, não poderia deixar de gravar um vídeo pro meu marido, né?

Renato, eu gravei esse vídeo no dia do meu aniversário e antes de assistir ao que você fez pra mim. Acabamos dizendo as mesmas coisas.

Feliz Aniversário, amor meu *_*

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Camilualeão.

Sempre acreditei desacreditando que a vida nos prepara amigos e nós escolhemos irmãos. Eu não a escolhi, ela só veio e ficou. E nada nos separou. Nada, nadinha.
Lua morena, lua loira, lua na pele. Crescente, minguante, nova e cheia.
Mesmo sobrenome, mesma cor de olhos, mesma cor de alma.
Irmãs. Gêmeas se ela não tivesse se apressado ao nascer, ou se eu não fosse tão lenta.
Luamada, pintada de urucum ou jenipapo. A minha lua.


Feliz aniversário, Camila.

Eu te amo, cara *_*

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Eu tô legal

O vento frio das seis da manhã bateu no meu rosto.
Era um novo dia e eu não tomava consciência disso ainda. Um novo dia que precederia muitos. Que precederia uma nova vida, a minha.
Eu talvez soubesse disso, mas não nessa dimensão.
As pessoas na rua pareciam mais calmas, o sol de manhã por entre as janelas do metrô era diferente. Tudo parecia harmonicamente melhor pra mim.
Desde então, preocupações não me incomodam mais. Já não estavam incomodando, mas agora menos ainda. Evitando conflitos e saindo de grupos ruins. E entrando nesse desconhecido tão bonito. Nada é como antes. E embora exista uma falta silenciada ainda, foda-se! E como a Camila disse, foda-se quem me reprimir, reprimir meus palavrões. Todas as palavras são lindas, nós as corrompemos. Foda-se de novo.


Eu quero paz, quero dançar com outro par, pra variar, amor...


Ah, galera, eu tô legal.

:}

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Palavras desbotadas

Estou vazia de palavras
Caderno e caneta, nada além de brancura em folhas
Madrugadas adentro, sem sono, sem encanto
Alguma espera
Mas as palavras são as mesmas, repetidas e desbotadas
E me lembro dos dias do dançar do vento
De borboletas em meu cabelo
De pôr-do-sol em meus olhos na janela
E de você, meu mais doce pecado
Que tolhia minhas orações
Sei que ainda vive em mim
Eu te amei primeiro.

Na foto, amiga, Veluma, estudante de Artes Cênicas na Universidade de Brasília.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Voa passarinho.

Não podes oferecer à um passarinho uma gaiola
O céu é bem mais intenso, bem mais bonito, bem mais LIVRE
Ofereças à ele tua janela, assim, virá te visitar quando sentir saudade
E, quem sabe um dia, te amará tanto quanto ama a liberdade


Jogue isso fora
Jogue isso fora
Dê o seu amor, dê a sua vida
Todos os dias e a cada dia
E mantenha sua mão aberta
Deixe o sol passar por ela
Porque você não pode perder uma coisa
Que pertence a você

Fiction Family - Throw it Away

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Eu queria escrever algo bonito
Algo que me lembrasse seus cabelos reluzentes e olhos cor-do-mar
Mas qualquer palavra que eu escreva não vai ser suficiente
E nem vai rimar, por mais que eu tente
Ontem tive um dia pesado
E você veio "desputá-lo"
É tão ruim gostar de alguém
Pior é admitir isso
Porque a gente acaba se tornando refém
E agora que já sabe
Pode pedir o resgate
Meu café não tem gosto
Meu abraço não tem calor
Mas meu sorriso te dou

A saber, Paulo Vinícius Duvoisin Horstmann, a gente não sabe como gosta de uma pessoa, nem como desgosta, muito menos porque gosta.
Mas é que "amigo" é uma palavra que combina tão bem com você!

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Ohos verdes.

Green Eyes

Querida, você é uma rocha
Sobre a qual eu me sustento
E eu vim aqui pra conversar
Espero que você entenda

Olhos verdes
Sim, o refletor de luz
Brilha sobre você
Como alguém
Poderia rejeitar você?

Eu cheguei aqui com um fardo
E ele pareceu tão mais leve
Agora que eu te encontrei
E, querida, você deveria saber
Que eu nunca poderia continuar
Sem você
Olhos verdes
Querida, você é o mar
Sobre o qual eu flutuo
E eu vim aqui pra conversar
Eu acho que você deveria saber

Olhos verdes
Você é a única que
Eu queria encontrar
Qualquer um que
Tentasse te rejeitar
Deveria estar fora de si

Porque eu cheguei aqui com um fardo
E ele pareceu tão mais leve
Agora que eu te encontrei
E, querida, você deveria saber
Que eu nunca poderia continuar
Sem você
Olhos verdes
Olhos verdes

Querida, você é a rocha
Sobre qual eu me sustento...



domingo, 2 de agosto de 2009

Agosto.

Agosto. Desgosto?

Destino.

Desgraça?

Sem graça.


Mês oito. Dezoito. Mais outro.


Vinte e um é dia. Dia de mais um ano.


Página do diário.


Calendário.


Aniversário.

Selo Blog Dourado.

O Selo Blog Dourado homenageia os melhores blogs e tem sua simbologia nas cores que utiliza: a cor azul para representar a paz, profundidade e imensidão e a cor dourada para a sabedoria, a riqueza e a claridade das idéias. O prêmio em si representa a união entre os blogueiros.
As regras são: Colocar o prêmio em situação visível ou linká-lo; Anunciar através de um link o blog que o premiou; Premiar até outros 15 blogs, avisando-os sobre o prêmio; Agradecer a quem concedeu o selo Blog Dourado.
Recebi o selo Blog Dourado da Elayne - Curiosidade Feminal, e gostaria de agradecer pelo imenso carinho e pela publicação que ela fez em seu blog usando um poema meu, que você vê clicando aqui.

O selo é um modo carinhoso de homenagear pessoas que nos tocam de alguma forma. E agora é minha vez de fazê-lo:

Não sei se vale repassar para quem te passou, mas quero oferecê-lo à Elayne, moça do Curiosidade Feminal . O nome do blog já explica muita coisa, por isso sempre passeio por lá!

Quero oferecer também à min'irmã, Camila, dona do lindo e Shakespeareano LUA.

Jenny, do Coisas de Jenny e seus contos lindinhos de morrer.

Jederson, do Caminhos... , a teologia mais simples e bonita que leio.

Rosa Amélia, ex (mas eterna) professora de gramática e de vida, minha segunda mãe, dona do Leitura Literária e Cidadania