domingo, 2 de janeiro de 2011

Tem sempre alguma coisa no jeito como a rua fica quando chove que me proporciona uma felicidade leve e calma. A neblina que não deixa o sol aparecer e os dedos dos pés que ficam gelados, o ar mais pesado, as janelas embaçadas. Sinto a água tocar meu corpo e passear por ele, transformando a pele de minhas mãos e pés numa pele enrugada, como a pele de uma velha senhora. Não que eu não me sinta assim. Às vezes parece que o mundo inteiro já passou por mim enquanto lavo, esfrego e deixo secar ao sol minhas palavras já desbotadas...

Um comentário:

Palavras de sertanejo disse...

Lindo texto... Parabéns...