quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Respiro, inspiro. Cílios longos pesando sobre meus olhos pseudoverdes, piscando lentamente. Esboço um sorriso no rosto iluminado pela luz das 9 horas da manhã que entra sem pedir licença pela janela do quarto. A noite passou. É sempre um dia de cada vez. Nem sempre tudo muda, mas tudo recomeça.
Escuto aquela voz distante me dizer que ama a luz dos meus olhos, mas ao meu lado não está mais. É quente lá fora e frio aqui dentro de mim.
Respiro, inspiro.
Espero.
E o mar [que nos separa]
tão profundo e grande
quanto o mar que bate
dentro
de
mim... (Camila Oliveira)

Um comentário:

Lua da Paz disse...

Isso não é Camila Oliveira. Isso é Fê Montana, um amigo.