quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Toda história tem um fim, mas na vida todo fim é um começo.

2009, mermão.
Venci a depressão, passei no vestibular, emagreci 3 quilos, deixei a franja crescer, me apaixonei por Terapia Ocupacional, amadureci muito, ganhei novos e lindos amigos, chorei muito, sorri mais ainda, escrevi meus melhores textos, encontrei um Cristianismo divergente pra minha vida: sem igrejas, ministérios ou denominações.
Vivi todas as emoções mais intensas nesses 365 dias. Senti saudade. Saudade de quem tava perto e ficou longe, saudade de quem tá perto mas que não vejo por motivos que nem sei dizer. Fiz loucuras, agi por impulso. Fiquei suja de tinta e farinha. Conheci gente vegetariana. Aprofundei no feminismo, sem pseudos. Viajei. Andei descalço na grama, na lama. Me vesti de flores. Jubosos 18 anos. A vida é toda nova agora, é isso não é promessa de fim de ano, é realidade.

Só me resta cantar, com a licença de Jon Foreman:

Rafa was a fighter
Rafa era uma guerreira
She cut like Casius Clay
Ela batia como Casius Clay
She burned like a fire
Ela queimava como fogo
Despite these rains
A despeito dessas chuvas
Where time was a question
Quando o tempo era uma interrogação
She only knew one song:
Ela só sabia uma canção
She's singing, "how far, how fast, how long?"
Ela cantava: "O quão distante, o quão rápido, quanto tempo?"

4 comentários:

Joubert - Batata disse...

AeEEEEEE...

Saudades de fofocar com vc e falar mal da vida dos outros... rsrsrsrs

wendell dos reis disse...

e ainda tem muita coisa para acontecer...

Lua da Paz disse...

2009, foi ano que eu mais disse que e amo.


teamo.

Jenny disse...

2009 foi o ano que eu ganhei uma nova família, e ganhei você, como filha-irmã^^

amo mais, aposto!

jenny