terça-feira, 17 de junho de 2008

Caracteres Lispectorianos.

Todo mundo diz que ao escrever, lembro Clarice Lispector. Essa coisa de divagar sobre a vida e colocar amor em tudo, mesmo que seja um amor desacreditado é bem a cara dela (e a minha também).

Mas creio ser de um perfil bem mais inconstante e elétrico, deprimido e feliz ao mesmo tempo. Silencioso em sons e falante em forma de escrita.
Alguns dias atrás, fiz o vestibular da UnB, concorrendo para Letras Português - Bacharelado/Licenciatura. A minha pequena esperança vem e vai, mas dia 14 de julho saberei.


Bem, minha terceira redação vai ser pulicada no site do colégio, inspirada em uma história real e beeeem Lispectoriana.








Cinco ou dez coisas que sei sobre ele




Dele, sei pouco.
Sei que sempre senta no fundo do ônibus e parece cansado todos os dias.
Que estuda, não sei onde, mas traz consigo livros.
Que possui um sorriso tal que faz minhas pernas tremularem.
Que anda com pressa, mas sempre parece não ter destino.
Que seus olhos são profundos e serenos.
Que completa meus dias sem dizer nenhuma palavra.
Mas hoje sei que fala, que sua voz é doce, que seu sorriso quando de perto traz borboletas ao meu estômago e me faz tremular e tontear ao mesmo tempo.
Seu nome não sei, e isso me basta.

Marrie Aine está voltando, aguardem próximos posts.

Um beijo da pseudoescritora, e se cuidem.

2 comentários:

[Mithz] disse...

Acho que todos nós quando escrevemos parecmeos com alguém que gostamos de ler, agora falta eu encontrar isso em mim. É bom ter esse reconhecimento vindo dos outros, tipo "olha ela escreve parecido com a Clarice" é legal que isso nos motiva a escrever mais e mais.

Dê noticias viu, o meu resultado sai hoje (18/06) rs estou nervoso e com medo.

Belo texto, bem que você poderia publica-los mais vezes.

Que bom que a Marie está voltando, daqui a pouco dá para lançar um livro de contos, e vou lançar uma revista on-line espero terminar esse projeto esse mês, o mais tardar dia 13 de julho quando o blog faz dois anos de labutagem.

Até mais.

Hein, rique disse...

"perfil bem mais inconstante e elétrico, deprimido e feliz ao mesmo tempo. Silencioso em sons e falante em forma de escrita."

bipolarmente perfeito. ^^

E sua poesia final me lembra meus antigos textos, massas e platônicos. Não é ruim, é massa esperar dessa forma. Eu quero voltar a esperar tal qual vc.

Textos legais, curti seu blog!
volte mais vezes no meu, espero ter algo mais relevante a relatar nas minha divagações bipolares pra vc ler.

;***