sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

O Massacre das Loucuras de Marrie Aine

Era um dia de domingo, quando Marrie e sua bicicleta passeavam sentindo o cheiro das árvores em sua pequena cidade.
Quando viu a barraquinha de morangos parou e foi comprá-los. A vendedora; de traços sutis, cabelo loiro um pouco enroladinho, olhos verdes e um sorriso indefinível; a atendeu com um sorriso e naquele momento um papo se instalou. Ela falava de como seu noivo era perfeito, de como eles iam jogar as mochilas nas costas e sair por aí até encontrar uma praia deserta pra se casarem, vivendo felizes para sempre e blá blá blá... Marrie não pôde deixar de reparar que o que a moça chamava de aliança era um fio dental verde florescente, devia ter gosto de menta. Tá certo, o que importa é a intenção, né? E, mesmo com uma banquinha de morangos, eram hippies, hippies modernos, com apego material. Ela não pôde parar de olhar, pois nunca tinha visto um fio dental tão chamativo, além de ser sua cor favorita.
Tudo que a moça dos morangos dizia soava para Marrie como a professora do Charlie Brown... "bobobobobooowboow". Marrie estava paralisada. Uma mocinha tão nova, com tantos planos malucos que provavelmente NUNCA iriam se realizar... Porém parecia feliz.
Então a mocinha dos morangos perguntou num tom meio espantado: "Você não vai casar?"
Como assim? Querendo se intrometer na vida de Marrie ? Nem os pais dela diziam isso, pois eles congelaram o tempo no dia em que ela falou "mamá" pela primeira vez.
Nesse momento um eco soou dentro da cabeça de Marrie, e, junto com o eco um agradável filme do dia em que ela caiu de bicicleta e Brando chegou perto dela... Dava até pra sentir o perfume., ela voltou naquele momento onde, talvez, ela fosse uma pessoa desejada, gostada... engraçada... Sei lá! O que importa é que ela viajou, e, nessa viagem não dava pra explicar o que ela sentiu, ela só sabia que ele havia chegado perto dela e aquele foi o momento maior de tudo que havia acontecido em sua vida.
Logo em seguida, a moça dos morangos começou o questionário: "Mas você não tem namorado?"
"Quantos anos você tem?"
Marrie só disse: "Talvez eu tenha vivido a metade das aventuras que você planeja, mas não tenho um noivo,nem namorado, nem xereguedê e muito menos uma aliança de menta."
A moça ficou espantada.
Marrie perguntou: "Onde comprou? É pra eu tirar as sementinhas do dente, e o cheiro é agradável!"


Pelo menos Marrie tinha um fio dental verde florescente com cheirinho de menta agora :D
Aquilo bastava, a fazia lembrar de tudo. Ela já sabia em seu coração que não poderia dividir seu fio dental com Brando, mas estava feliz assim.


[não sei se continua]
Vocês estão se apegando a Marrie (Y)

2 comentários:

[xmitzx] disse...

Ow eu quero que isso aqui continue, você bem que poderia agora contar a histora do Brando e até chegar o momento da bicicleta que foi o momento onde Marie o encontrou, e fechar a historia depois disso.

O resto do meu comentario eu vou fazer em forma de post, apesar que nem é um comentario, mas sim os ultimos acontecimentos do meu coraçãozinho apaixonado. heheh...

=P

ricardo disse...


Olá!!! Obrigado pelo comentário no meu blog, realmente fiquei feliz por isso!

Desde já estou lhe devendo uma visita e um comentário decente ao seu post... rs (Estou sem trampo, sem net e sem tempo).

Volte sempre pra prosear, quer uma xícara de café? rs

beijos, ricardo