terça-feira, 10 de maio de 2011

Eu supervalorizo muitas coisas, e, sobretudo as coisas estúpidas. Sempre sinto que meus erros são os mais imperdoáveis, meus medos são os mais bobos, minhas palavras são as mais vazias de significado, minha timidez extrapola os limites, minha paciência é insuficiente e minha felicidade é de plástico. Falo pouco, escrevo muito. Sinto muito por sentir além da conta.
Todas essas coisas vivem em constante guerra em mim, como se me penitenciassem da maneira mais perversa.
Tem algum jeito de pausar, assoprar a fita e reiniciar? Porque não tá funcionando direito essa vida.

Um comentário:

Lélo disse...

por essa mesma aflição misteriosa uma serie de artistas e pessoas geniais se suicidam por ai..